quinta-feira, novembro 26, 2009

Quem é vivo sempre aparece

Ando muito sumida aqui desde que me mudei pra "terra do sol".
A mudança está sendo maravilhosa e assim que estiver tudo em ordem conto as aventuras que tenho vivido aqui.
Como ainda estou sem net, só consigo acompanhar o que tá rolando no mundo virtual quando vou a lan house.
Bjs!

quarta-feira, setembro 09, 2009

Bem-vinda

De última hora fizemos um chá de bebê para a Camila no domingo. Ela estava tranquila, serena e muito feliz. E o pai estava ansioso e alegre.
No dia seguinte toca meu celular e tomo um susto com o recado: A Laura nasceu!
Fiquei maravilhada com a primeira notícia do dia. Usando as palavras bem-humoradas da Sharon, "a Laura só estava esperando o chá de bebê para nascer."
Laura, seja bem-vinda ao mundo. Amor, paz, saúde e alegria não vão faltar para você.
E a nação Corinthiana saúda a sua mais nova integrante! "Aqui tem um bando de louco! Louco por ti Laurinha!"
Em breve a gente vai se ver!

segunda-feira, agosto 31, 2009

Mulheres: dica de blog

Curto muito ler diariamente blogs de amigos, de conhecidos e de anônimos. E hoje vou fazer uma propaganda gratuita para o blog de um carioca, que nunca ví, mas parece que a gente se conhece pela afinidade de assuntos, o Surfista Platinado.
Sob o ponto de vista masculino, ele posta frequentemente um episódio amoroso da vida dele ou de conhecidos. É divertido ver como eles analisam nosso comportamento diante de diversas situações do dia a dia em casa, no trampo, na balada, etc.
Tá aí uma dica pra mulherada entender como funciona o timing dos machos, dos brutos e dos homens.

segunda-feira, agosto 17, 2009

Viva o H1N1!

Doença é uma desgraça para a humanidade, mas ela tem uma função educativa. Veja por exemplo a Aids. Depois da maldita, muitos machos se conscientizaram a encapuzar o bilau. Antes disso, a mulherada tinha que fazer tabelinha, tomar pílula, passar creminho para tratar as coceirinhas, bater cartão no gineco.
E agora foi a vez da gripe suína dar sua contribuição: ensinou eles a lavarem mais as mãos.
Repare como aumentou o número de homens que saem dos toilets de restaurantes e bares com as mãos molhadas.
Qual doença será necessária para fazer os machos gostarem de assistir novela, andar no shopping, bater pernas na 25 de março e na José Paulino?
Virar mulher não vale!

terça-feira, agosto 11, 2009

Lei antifumo

Outro dia me pediram minha opinião sobre a lei antifumo, recém aplicada no estado de São Paulo. Ao contrário do que muitos imaginam, apesar de não ser fumante, sou contra essa lei mesmo sendo beneficiada por ela.
Primeiro, porque o Estado não deve mandar e tratar as pessoas, dizendo o quê elas devem ou não fazer. Quem é fumante sabe que fumar faz mal a saúde e que a fumaça incomoda quem não fuma. O Estado tinha que se preocupar com assuntos mais graves como a segurança pública que de fato põe em risco a integridade da sociedade.
Sobre o antifumo, o próprio mercado já havia se adaptado a essa questão antes de existir a lei. A maioria, ou quase todos, os bares e restaurantes já tinham espaços distintos para fumantes e não fumantes. Já fui em locais que não permitiam fumo e outros que eram praticamente destinado para tal hábito. Acho muito justo o proprietário do local, que paga impostos, optar se prefere clientela fumante ou não fumante ou as duas. Como não sou fumante, preferia ir em locais que não tinham fumaça de cigarro. O próprio mercado se ajusta.
E tem mais, o Estado de São Paulo adverte: a lei antifumo é prejudicial ao dono do estabelecimento. Se algum cliente desrespeitar a nova lei, quem se ferra é o dono do botequim!
Acho de uma leviandade o Estado interferir na propriedade particular. Sob o ponto de vista legal, o Estado até poderia aplicar a lei antifumo SOMENTE em locais que ele mesmo gerencia como escolas, universidades e outras instituições públicas. Se ele estivesse tão bem intencionado, preocupado com a saúde do povo, já teria expulsado os fabricantes de cigarro. Fora de cogitação, pois a indústria paga MUITOS impostos.
Não me espanta se amanhã o Estado surgir com uma estatística manipulada de que o diabetes tem triplicado o número de pacientes na rede pública de saúde e por isso, será aplicada uma lei de restrição ao consumo de açúcar.

quarta-feira, julho 29, 2009

When nature's calling

Uma das vantagens de ser balzaquiana, é que a gente assume nossos atos sem receio de ser julgada. Pois é, outro dia aconteceu algo do gênero e fora do meu controle.
Estava na pacata vila de Conceição da Ibitipoca (MG) e me deu uma vontade louca de ir ao banheiro. Suando pra caramba, entrei numa lojinha, disfarcei que ia comprar algo e em seguida pedi para usar o toilet. Tchibum. Que alívio!
A descarga do banheiro era daquelas antiga que tem que puxar a cordinha. Puxei. Veio aquela enchurrada de água, ficou rodando o "charuto", depois partiu o danado em partes, rodou, rodou, rodou, mas acabou ficando lá no vaso, bloqueando a passagem.
Tive de esperar uns minutos até o reservatório da descarga encher por completo. Joguei água sanitária, desinfetante, fiz reza brava, tudo isso com a esperança de desobstruir a privada. Puxei a cordinha e veio aquele Itaipu novamente. Tudo na mesma.
Nisso já se passaram dez minutos! E meu marido lá fora já sacando tudo o quê estava rolando (literalmente).
Sem esperança de que o trem não ia desembarcar tão fácil, saí da casinha. Leve, mas com peso na consciência.
Assumindo a desgraça pra sí, me dirigi a moça da loja em tom sereno:
- Puxei a descarga, mas não escoou.
- Não tem problema, isso acontece com frequência.
Saí de mãos limpas e dadas com meu marido e fomos embora.
E pra encerrar, uma linda imagem da natureza de Conceição da Ibitipoca.



quarta-feira, julho 22, 2009

Alô você!


E a lei seca Vanucci?
Hic! África do Sul é logo alí, hic...

quarta-feira, julho 08, 2009

Comporte-se! Ele é um cão guia

Tempão atrás fiz uma matéria sobre cão-guia e achei fascinante o trabalho desse animal que é super inteligente e carinhoso. Conversando com um adestrador, descobri coisas absurdas que acontecem no dia a dia do melhor amigo do homem, por isso, decidi postar aqui umas dicas de como se comportar diante de um cão-guia.
Regra básica: não interrompa o trabalho dele. Tem gente que fica tão encantada com a obediência do animal e por isso quer passar a mão, oferecer comida, brincar e os mais sem noção pedem para fazer test-drive com ele! Tudo isso atrapalha o cachorro e, principalmente, a vida do cego. Imagine quanto tempo o coitado vai levar para chegar ao destino final se todo mundo der atenção ao companheiro de quatro patas.
Outra dica, quem estiver passeando com seu mascote, não deixe ele se aproximar do colega que está trabalhando. Apesar de ser super bem treinado para não correr atrás de outro animal, o cão-guia não vai resistir se seu cachorro rodear ele, cheirar as partes íntimas insistentemente e tentar morder. Cão-guia não tem sangue de barata!
Por ser tão bem adestrado, tem gente que pensa que o cão-funcional vem com GPS. Quando um deficiente visual pedir uma localização, responda para ele (dono) e não para o amigo peludo.
E se pedirem para conduzir o cego, por favor, não sequestre o cachorro. O dono dele vai segurar seu cotovelo e dar um comando ao cão, que entenderá que a partir daquele momento não será preciso guiar e sim acompanhar as duas pessoas e dar sinal de alerta se houver perigo.
A melhor forma de admirar, mostrar o respeito e carinho as esses cães maravilhosos é "ignorá-los", observá-los e permitir seu acesso em empresas, escolas, restaurantes, bares, cinemas, teatro e meios de transporte.

quarta-feira, julho 01, 2009

Hot N Cold

Você conhece a Kate Perry? E a música "Hot N Cold"?
Quem não a conhece e vê pela primeira vez o clip logo pensa que é de vinte anos atrás. Mas não é.
Até poderia passar por um videoclip dos anos 80 se não fosse por dois detalhes atuais.
Assista ao clip e descubra quais são.
"Hot N Cold" na caixa DJ!

video

sexta-feira, junho 26, 2009

Sacanagem ou distração do UOL?

Na capa de hoje do UOL traz a morte de Michael Jackson, mas outra notícia me chamou à atenção. Veja a seta vermelha. Clique na foto para ampliar.


Sacanagem ou distração do editor?

quinta-feira, junho 18, 2009

Diploma de jornalismo = diploma qualquer

Agora é oficial: qualquer um pode ser jornalista.
Pra mim, a decisão do STF não foi uma novidade, apenas legalizou o quê já vinha acontecendo há anos, pessoas não formadas em jornalismo exercendo a profissão de jornalista. A Folha nunca exigiu diploma de jornalismo, a Veja tem uma galera de articulistas das mais diversas áreas, os portais então, nem se fale. Na TV tem chef de cousine, veterinário, psicólogo, biólogo, executivo, advogado e modelo atuando como repórter, disfarçado na pele de "consultor". E na Internet, milhares de blogueiros transformaram seus blogs em veículos de comunicação.
Sacanagem é se a não obrigatoriedade do diploma for em vão, se os educadores e as faculdades ficarem de braços cruzados, mantendo o ensino do jornalismo como está “formando especialistas em generalidade”. Está mais do que na hora transformar a faculdade de jornalismo numa pós, para o bem do profissional e da sociedade. Aí sim mostraremos a grande diferença entre o jornalista formado e o jornalista do acaso. E o mercado vai reconhecer isso.
Não estou cuspindo no prato que comi, gostei da faculdade, fiz grandes amigos e de tabela encontrei meu marido (rs). Cursei a faculdade de jornalismo porque era a única forma legal de exercer a profissão, senão, teria feito outra faculdade e pós em jornalismo.
Se não houver mudança curricular, infelizmente o profissional de jornalismo será mais um outro qualquer como o de relações públicas, que se tornou obsoleto com o surgimento do assessor de imprensa, função assumida pelo jornalista.

quarta-feira, junho 17, 2009

Os Gersons do volante

Outro dia peguei uma van no centro da cidade. Mal entreguei o bilhete e o cobrador me perguntou onde vou descer, depois entrou outra passageira e ele fez o mesmo e assim foi durante a viagem.
Intrigada, a moça sentada ao meu lado perguntou ao cobrador o porquê de querer saber onde todos vão descer. Ele retrucou na maior naturalidade:
- Dependendo de onde todos vão descer eu falo pro motorista cortar caminho.
Fala sério, cadê a consideração com os usuários que estão esperando nos pontos de ônibus espalhados pelo trajeto? Se gosta de cortar caminho por quê não vira taxista ou motorista de ambulância? Ê mania feia de querer levar vantagenzinha!
Pro azar dele, cada passageiro ia descer num ponto diferente, com isso, o plano de fazer atalho foi pro vinagre. Bem feito! Bem feito!
O transporte público já é precário. Aí as autoridades legalizam os perueiros para oferecer outra opção de transporte para a população, mas os "Gersons do volante", ao invés de ajudar, só contribuem para piorar a situação.

segunda-feira, junho 15, 2009

Eterno assunto da mesa

Ter um hábito alimentar diferente das outras pessoas é virar assunto da mesa. Quem passa por isso sabe o quê estou falando.
Desde o cinco anos de idade que não como carne de vaca e de porco porque odeio ambas. Não tem nada a ver com crença, estilo de vida, saúde, politicamente correto ou coisa do gênero. E de seis anos pra cá, deixei de comer frango porque passei a ter nojo, pois lí muito sobre as rações anabolizadas para engordarem mais rápido as aves. A única carne que ingiro, e gosto MUITO, é peixe e seus parentes (frutos do mar).
Apesar dessas restrições alimentares, não faço campanha, não condeno quem come e nem deixo de frequentar churrascaria, que por sinal oferece muita opção para quem não gosta de carnes vermelhas. Aliás, nem campanha contra o cigarro eu faço! E olha que nem fumo! Mas isso é assunto para outro post.
Fico indignada, sem entender mesmo, como as pessoas se incomodam com meu hábito alimentar, que não prejudica ninguém. E se existe alguém "prejudicado", sou eu.
Se eu soubesse das consequências disso eu teria mentido lá atrás. Teria dito "não obrigada, hoje meu estômago não está digerindo muito bem carne", "estou sem fome", "já comi".
Outro dia, estava num churrasco na casa de um parente de um conhecido de um amigo meu e a anfitriã percebeu que eu só beliscava os queijos e o pão com vinagrete, então, ela me perguntou o que eu comia. Respondi que comia de tudo, exceto carnes vermelhas e frango. Outra senhora comentou com as demais "ela é vegetariana!".
Socorro! As criaturas do mar não nascem em árvores! Gritei em meus pensamentos.
Conclusão, virei assunto da mesa. Choveu críticas contra e a favor ao consumo da carne vermelha. Até religião foi citada. E eu na minha mandando ver nos petiscos.
Enquanto isso, a simpática anfitriã foi à cozinha e voltou trazendo um rondeli de queijo m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o, cujo aroma invadiu o ambiente e na hora calou a boca de todo mundo, que ficou babando e "secando" meu prato. É claro, a mulher acabou tendo de oferecer a massa para os demais, que quase devoraram tudo.

terça-feira, junho 09, 2009

Previously on Lost

Eu não sou Lost, mas essa mini temporada que fiquei fora de casa rendeu várias teorias sobre meu sumiço repentino no prédio onde moro.
Quando entrei de carro, o porteiro acenou pra mim e se conteve. Horas depois quando saí, ele não se aguentou e disparou um "está tudo bem com a senhora?". Quase morri de rir.
No dia seguinte, a faxineira veio e perguntou se eu tinha terminado o curso em SP. Respondi que sim e ela rebate:
- Pois é, eu falei pro zelador que você estava fazendo um curso, mas ele insistia em dizer que você tinha ido pra Globo de SP!
kkkkkkkk....quanta imaginação!
Mais tarde liguei pro tintureiro para retirar umas camisas em casa e ele me dispara essa:
- Tava sumida, hein?
- Estava fazendo um curso em SP.
- Ahhhhhhhh bom!!!!!!
Tô saindo do prédio e o cachorro de uma moradora faz "a festa" pra mim, tipo "ela voltou! ela voltou!"

domingo, maio 31, 2009

EXCLUSIVO: Susan Boyle no Brasil

Surpreendente: Susan Boyle tem parentes no Brasil!
A escocesa é tia avó da apresentadora Maísa.
Após a derrota no programa Britain's Got Talent, Susan quer matar a saudades dos familiares que moram em São José dos Campos, região do Vale do Paraíba. A sobrinha neta de Susan será a companhia inseparável da escocesa.



Apesar de não ganhar o prêmio máximo do show, Boyle continua otimista e afirma que sonha ser famosa como a cantora Ellen Page, sua musa inspiradora.
Adivinha quem a Maísa quer ser quando crescer?

domingo, maio 24, 2009

NÃO ABANDONEI O BARCO

Aos queridos (poucos) acompanhadores deste blog, venho informar que não abandonei isso aqui não.
Tô fora de casa por uns dias, fazendo curso fora da cidade e dormindo na casa de mamãe, que infelizmente está sem Internet temporariamente (snif!).
De vez em quando vou a lan house para ler meus emails e confesso que acho esse local um ambiente muito estranho e não fico nem um pouco à vontade para tocar meus dedos no teclado alheio com cheiro de cigarro e encostar a mão sobre o mouse suado, melado...Cruzis!
Assim que voltar pra casa ou superar o nojo, eu volto a postar.
Saudades de vcs, daqui e do meu velho e limpinho PC!

terça-feira, maio 05, 2009

Os brutos também se divertem (com pouco)

Toda pimpona que o jeans de algumas Copas atrás ainda servia, aliás estava até um pouco largo no quadril, fui eu bater perna no centro trajando a distinta peça.
Andando pela calçada a passos largos, meus pés derraparam ao tocar num piso de pedra lisa (deveria ser proibido esse tipo de piso!), escorreguei, caí com as pernas dobradas e batí fortemente o joelho direito podre (sempre ele!) no chão. Ví estrelas. E pra completar o espetáculo, a calça desceu um pouco mostrando o início do "cofrinho".
Uma moça, que andava na calçada oposta, atravessou a rua e muito solícita perguntou se eu precisa de socorro. Nisso passa uma van com uns brutos, que diferentemente da atitude prestativa da garota, se esbaldaram com a pequena amostra da "paisagem", que durou milésimos de segundo graças a minha rápida puxada de calça pra cima com a mão esquerda, enquanto a direita se apoiava no portão.
Estava tão alucinada com a dor que nem entendi nada do que os marmanjos falaram. Melhor assim.
Dá próxima vez, coloco um cinto ou visto uma blusa mais comprida! Aposentar a calça jamais.
Não é sempre que uma roupa antiga ainda serve uma balzaquiana. Touché!

domingo, maio 03, 2009

Soy loco por ti

Só pra constar:


(foto: Agência Estado)

AQUI TEM UM BANDO DE LOUCO! LOUCO POR TI CORINTHIANS!

CAMPEÃO PAULISTA 2009! U-HU!!!!!!!

segunda-feira, abril 13, 2009

Ajudante do Aleijadinho

Nos últimos dias tem "baixado" o espírito do ajudante de obras do Aleijadinho em mim.
Com a furadeira em mãos, fiz um monte de buraco na parede, reposicionei cortinas, quadros, espelho, enfeite e depois saí tampando com massa corrida os orifícios antigos, da gestão (morador) anterior.
Meu vizinho de cima está amando a sinfonia da construção e tem demonstrado isso com frequência. Por conta disso apelidei ele de "Segunda Voz" porque o cara reproduz exatamente o mesmo som que faço e precisamente no mesmo cômodo. Quando furo a parede do quarto, em instantes o "Barbosa" faz o mesmo, se cadencio a martelada, ele repete igualzinho (rs).
Tô quase pedindo pro "parceiro" fazer o som dele na síncope, só para deixar o conserto/concerto harmônico.

quinta-feira, abril 09, 2009

Pré Páscoa

Pra não ficar com peso na consciência (e na pança), esta semana aumentei o ritmo da corrida para equilibrar com os excessos _ovos de chocolate e bacalhau_ que serão cometidos na Páscoa, que é amanhã.
MELDELS!

terça-feira, abril 07, 2009

Gangue do sári rosa

Ninguém contesta que uma balzaquiana, na TPM, maquiada, de saia e salto alto, intimida qualquer mortal do sexo oposto. Pois é, na Índia tem uma porção delas, que metem medo em muito marmanjo quando surgem em bando e de sári rosa. Leia aqui

Jaya, jaya balzaquianas!

segunda-feira, abril 06, 2009

¿Y Por qué no te callas? - parte 2

Repercutindo o post anterior, anteontem conversei com uma grande amiga que mora no Japão e descobrimos quem faz campanha contra o novo plano de ajuda aos brasileros e peruanos: as empreiteiras. Elas não querem que os dekasseguis façam as malas porque temem falir e por isso fazem terrorismo com os imigrantes, distorcendo informações para mante-los na terra do sol nascente. Dekassegui desempregado no Japão é investimento para elas.

quinta-feira, abril 02, 2009

¿Y Por qué no te callas?

A imprensa tem noticiado que o governo japonês oferece US$3.000 para cada dekassegui brasileiro e peruano desempregado voltar para a terra natal. E ainda, cada dependente receberá US$2.000 e aqueles que recebem seguro desemprego também terão direito a uma quantia inferior de dinheiro. Quem aceitar o incentivo do Programa Regresso, que é opcional e não obrigatório, só poderá retornar ao Japão com visto de turista ou visto especial de trabalho, ou seja, o acesso será restrito, pois não se sabe por quanto tempo a crise vai durar no país. Óbvio, eles querem evitar vai e vem de gente que pegou a grana e depois quer voltar para tentar a sorte no arquipélago de novo.
E é por causa dessa nova condição de entrada no Japão que os intelectuais brazucas e associações de dekasseguis no arquipélago nipônico estão chiando e falando que é discriminação aos brasileiros e peruanos.
Discordo mais ainda deles, pois a medida está privilegiando esses imigrantes, ao contrário dos chineses, filipinos e paquistaneses que também sofrem com a crise mas não foram ajudados com nenhum auxílio financeiro. Tem certeza que os brasileiros e peruanos estão sendo discriminados?
Realmente não entendo o motivo da fúria desses caras porque as regras de imigração mudam bastante de acordo com as circunstâncias. Por exemplo, vinte anos atrás somente os filhos de japoneses tinham o direito ao visto de trabalho no Japão, passado algum tempo os netos também e mais tarde foi estendido até para o(a) esposo(a) da terceira geração.
Esses causadores de má opinião só sabem reclamar de tudo e confundir mais a cabeça dos pobres diabos dekasseguis. Se o Japão não faz nada, reclamam que os brasileiros sofrem preconceito, se oferece ajuda, resmungam que é pouco e tem má intenção. ¿Y Por qué no te callas?
Sugiro deixar esses "pensadores" sem dinheiro, sem emprego, sem perspectiva de melhora nos Estados Unidos e na Europa. Lá eles tramam um jeito bem sacana de expulsar o estrangeiro desempregado: a imigração não renova seu visto, a pessoa fica clandestina e depois é detida no departamento de imigração até ser deportada para a terra natal. Uma vez deportado, o cidadão não pode voltar NUNCA mais pra lá. Isso sim é cruel.

quarta-feira, abril 01, 2009

Dando c...

Meados dos anos 80 quando era uma pré-adolescente, tive uma amiga cuja mãe era divorciada. A mulher tinha trinta e poucos anos, dona de uma loja de roupas, era simpática, bonita e vaidosa. Prato cheio para os fofoqueiros, que não tiravam os olhos da janela quando a mulher aparecia na rua de saia, meia calça e botas.
Minha amiga e eu brincávamos quase todas as tardes na rua e revezávamos de tomar lanche na minha casa ou na casa dela. Quase sempre, quando estava de saída a mãe da minha amiga chegava do trabalho, poucas vezes acompanhada do namorado, cuja aparição atiçava a língua ferina da vizinhança.
Era ingênua e não entendia o motivo das pessoas falarem mal dela, pois a mulher era na dela, não era o tipo de gente espaçosa que ouvia som alto, jogava lixo na rua ou que tinha cachorro que defecava na frente da casa alheia. Quando a divorciada começou a reforma na casa os comentários maliciosos acaloraram mais ainda no bairro.
Um dia, uma vizinha invejosa e machista a encontrou na rua. Não se aguentando de curiosidade ela perguntou:
- Com que dinheiro você conseguiu reformar a casa?
A balzaquiana retrucou:
- Dando o c... pro seu marido!

terça-feira, março 31, 2009

ob

Barack Obama é igual ob:
"Ele está num dos melhores lugares do mundo, mas no pior momento"

autor desconhecido

segunda-feira, março 30, 2009

Efeito casulo

Outro dia saí do interior e fui à 25 de março de ônibus. Me senti um bichinho do mato quando o busão parou no terminal Tietê e tive de tomar o metrô lotado. Achei tão engraçada a sensação de "efeito casulo" pois jamais imaginei que isso aconteceria comigo que trabalhei mais de 15 anos em Sampa, em locais movimentados como a avenida paulista, praça da República, Santa Cecília e Vila Madalena.
Chegando na 25, já estava mais adaptada com o corre corre e logo fui me enturmando entre a gritaria dos camelôs, vai e vem da multidão e as lojas lotadas. O que mais de surpreende naquela região, além da variedade de produtos e preços, é a simplicidade, simpatia e praticidade dos vendedores que dão um show de atendimento, 10 X 0, aos colegas de profissão que trampam sob ar acondicionado nos shoppings.
Meia hora depois de andança por lá, nem me apavorei com os vendedores ambulantes fugindo com sacos cheios de mercadorias. Os experts montam as banquinhas em caixotes semi embalados em sacos plásticos, assim, quando pinta o "rapa" (fiscalização) é só puxar o saco para cima, dar um nó e sair andando como se fosse mais um comprador com uma sacola na multidão.

quarta-feira, março 11, 2009

Conserto com pocket show

Munidos de marreta, areia, cimento, eles vieram consertar a pia da cozinha que afundava a cada dia. Era preciso desencaixar a pedra da pia do gabinete e colocar o cavalete de sustentação.
Enquanto um martelava, o mais velho, bom conversador, comenta:
- Você sabia que o Valter foi meu genro?
- É, fui casado com a filha dele, responde Valter.
- Ele foi casado com a milha filha mais velha, tiveram uma filha e um tempo depois se separaram. Cada um vive no seu canto. Apesar disso, a gente manteve a amizade, né Valter?
- É, responde o ex-parente martelando a parede.
- Pra falar a verdade, a minha filha que é tranqueira! Já juntou, separou num sei quantas vezes com outros rapazes e hoje tá morando comigo! Se vê como são as coisas, rodou, rodou e voltou pra casa! Ela que era tranqueira!
- É, martelando com mais força.
- Apesar disso, eu e o Valter mantivemos a amizade, ontem mesmo ele arrumou a pia de casa e hoje eu vim dar uma mão pra ele aqui na cozinha da senhora.
- É, ralentando a martelada.
- O Valter casou depois que separou da minha filha, mas não tiveram filhos.
- É, martelando e balançando a cabeça.
- Ele fez vasectomia.
- É, respondendo na síncope da martelada.
Sem dar ponto de corte o senhorzinho prossegue:
- Outro dia eu passei um susto danado. Minha mulher começou a passar mal, a pressão subia, subia, aí levei ela correndo pro PS. O médico disse que se demorasse mais um pouco ela tinha ido! Foi AVC!
- Puxa, ainda bem que o senhor agiu rápido, concluí.
- Ela tá melhorando. Tá fazendo fisioterapia. Antes, ela nem conseguia andar direito, andava assim (ele fazendo passinho de gueixa na cozinha). Mas agora já anda assim (andando mais espaçado, mas em câmera lenta).
- Que bom que ela consegue andar, retruquei em tom de ponto final.
- Pois é. Ela tá melhor, já consegue passar roupa, cozinhar um pouco. Logo logo ela vai passar na fono porque ela mexe a boca, mas não sai nada.

terça-feira, março 03, 2009

Ode ao Picadeiro

Tava lendo uns posts antigos de um outro blog que escrevia com meus amigos da facu. É o Picadeiro da Informação, pra quem não conhece.
Rí muito com os textos, com os comentários apimentados da galera e até com os comentários babacas, propositalmente anônimos. Aliás, já perceberam que os anônimos adoram dar lição de moral e posar de intelectual em blogs? E é por isso que a gente rí mais ainda deles....kkkkkkk
Enfim, o melhor de ler esses posts velhos é perceber quantos problemas, desafios, desafetos enfrentamos e tiramos de letra. E ainda, rimos das nossas próprias desgraças.
Bons tempos de Picadeiro!

domingo, março 01, 2009

Escrever é uma obrigação

Um tempo atrás numa conversa com grandes amigos jornalistas num barzinho fiquei aliviada ao descobrir que o mal de não saber mais escrever matérias (travar no lead, não distinguir o que é mais importante) é comum no nosso meio e que até se manifestou num amigo. Que alívio! Cheguei pensar que eu estava sofrendo de algum tipo de retardamento intelectual irreversível.
E acho que por causa desse "mal" que eu tenho sumido daqui. Assuntos para escrever não faltam, mas aquela vontade indomável de escrever está enjaulada com o diploma.
Estou pensando seriamente em adicionar a escrita nas obrigações diárias como tomar banho, escovar dentes, comer, andar, dormir, etc. Quem sabe, aos poucos, isso se torne um hábito e até prazeiroso.

terça-feira, janeiro 06, 2009

Good vibrations

2009 está com cheirinho de novidades pra todo mundo!

OBS.: Que post minúsculo! É a única coisa que veio em mente no momento.